Diário da Gravidez #1 – Sono, enjoos e gosto ruim na boca

Se você ainda não sabe, eu te conto: vou ser pai de novo. Isso mesmo, João vai ganhar um irmão ou uma irmã. Na verdade, nem sabemos ainda se é um irmão só. Semana que vem faremos ultrassom e vamos descobrir se está tudo certinho. Obviamente contarei aqui o resultado.

Esse comecinho de gravidez é sempre muito mais chato do que agradável. Engana-se quem acha que gravidez é só um mar de flores e que a mamãe fica ansiosamente esperando 9 meses pra abraçar seu filho. Gravidez também é algo chato pra caramba. Eu sei disso, mesmo nunca tendo engravidado porque sou marido e marido também fica grávido por tabela.

Na primeira gravidez, tudo é novidade e a mãe natureza vai ensinando a você o que fazer. Além, é claro, de contarmos com a experiência dos nossos pais, futuros avôs. Feliz de quem tem o pai e a mãe perto pra ajudar nessas horas. Na segunda gravidez é mais ou menos como você assistir a primeira temporada de Lost de novo. Continua sendo legal, mas o fator surpresa perde a força porque você já sabe o que vai acontecer.

Na segunda gravidez você está muito mais preparado, escolado e sente-se um verdadeiro expert no assunto. Tenho certeza que vou descobrir depois que tudo será como na primeira e essa “sabedoria” que eu acho que tenho não valerá de nada. Mas preciso me iludir. Então vamos falar desse comecinho de gravidez.

O pai ou futuro pai precisa entender uma coisa: por mais que se esteja grávido junto, toda a carga da gestação fica em cima da mãe. É ela quem tem o seu corpo invadido por esse pequeno ser, que vai ganhar peso, crescer e espremer todos os órgãos da mãe como se fosse uma bigorna. Especialmente a bexiga, coitada, que será esvaziada constantemente. A mãe é que vai ganhar peso, ficar com os pés inchados, com as costas doendo, terá seu corpo deformado e caso não consiga fazer parto normal, precisará ser cortada numa cesárea pra poder dar a luz ao filho de vocês. É compreensível que ela mude de humor constantemente, esteja sempre cansada, etc.

No caso de Nara (minha esposa), nesse começo as primeiras mudanças que ocorrem são um característico gosto ruim na boca (que ela carinhosamente chama de gosto de merda), enjôos e um sono incontrolável. Na gravidez de João, nos primeiros meses ela dormia praticamente sempre que podia, era quase uma narcolepsia. E tome beber água gelada e tomar Vonau pra passar os enjoos, comer algo pra tirar o gosto horroroso da boca e dormir, dormir, dormir. Você, pai ou futuro pai, precisa de MUITA paciência nessa fase. Temos que ser compreensivos ao extremo. Não é uma esposa estressada que está na sua frente, mas sim a mãe/futura mãe do(s) seu(s) filho(s). Tá lembrado do que o padre/pastor/reverendo/joey tribbiani disse, né? É na alegria e na tristeza, na saúde e na doença.

Com João já com 1 ano e meio praticamente, essa fase será difícil por dois motivos. Um, é que caberá a mim dar o máximo possível de atenção a ele. Nara continuará trabalhando normalmente (trabalhou até os 8 meses na gravidez de João), além disso estará constantemente enjoada e com sono. Portanto, nem sempre terá o ânimo esperado pra dar atenção a ele. E isso nada tem a ver com abandono. É uma fase. Chata, mas uma fase, que passará quando você menos esperar.

O outro motivo é que eu trabalho em casa, já tenho meus horários dificultados pois João já anda pela casa toda, sobe em sofá, espalha coisas e mexe em tudo (a curiosidade deles nessa fase é absurda). Ou seja: demanda atenção CONSTANTE. E como diz o ditado “quem pariu que o carregue”, não temos babá. Dessa forma, terei que me desdobrar e possivelmente trabalhar noite adentro quando João dormir pra poder dar conta de tudo.

Quando essa fase inicial passar, aí sim poderemos curtir mais a gravidez. Mostrando a João a barriga crescendo, explicando que ali tem um irmão ou uma irmã pra ele e mostrando que ele não vai ser abandonado, tampouco escanteado. Coração de mãe é assim, grande mesmo e cabe todo mundo.

Fica a dica pra você, pai de primeira viagem: muita calma, paciência, persistência, perseverança e fé. Vai dar tudo certo.

joao

Comentários

comentários

Comments (4)
  1. Janaina 30/11/2013
  2. Ana Claudia 30/11/2013
  3. Craudia 30/11/2013
  4. Ana 03/12/2013

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *