Chilique por conta da Peppa Pig. Pediatra bobinho.

Um seguidor no Twitter me mandou essa postagem de um pediatra no Facebook, preocupado com os “malefícios” que o desenho da Peppa Pig traz para a família brasileira. Na opinião dele, Peppa não é apenas uma porquinha bonitinha. Segundo ele, ela é mimada, birrenta, não sabe dividir os brinquedos é dona da verdade e muitas vezes confronta o pai. Ele também disse que o desenho ensina tudo ao contrário do que os pais devem passar aos filhos.

Para o pediatra, o Papai Pig é retratado como um imbecil, pois faz tudo errado, não sabe pra onde vai e é desastrado. Sobrou até mesmo pro George, que ensina a comer errado, fala que odeia verduras, etc. A única que aparentemente escapou foi a Mamãe Pig. O motivo da revolta parece ter sido causado porque ele errou o caminho certo dia e seu filho comentou “Olha, papai errou o caminho igual ao Papai Pig”. O cara não se conteve e foi pro Facebook detonar o desenho.

Antes de mais nada, temos que respeitar a liberdade de expressão do sujeito. Ele foi no espaço dele dizer o que pensa. Dito isso, é preciso tomar cuidado também com uma falácia muito comum que é utilizada nesses casos, o “apelo à antiguidade”. Dizer “no meu tempo era assim e eu não virei marginal” é um erro de argumentação. Antigamente também não havia antibióticos, antigamente se castigava com palmatória, antigamente era outro tempo. Apelar para o antigo é uma falha lógica, não serve como argumento.

Ao que me parece, ele nunca assistiu um episódio completo do desenho. Em todos os desenhos da Peppa o final é feliz, com todos unidos e se divertindo. Além disso, sempre que a Peppa faz birra os pais ensinam que não é daquele jeito, ela aceita e faz as coisas da forma correta. Todo desenho tem várias lições sendo aprendidas por ela e George, sejam ensinadas pelos pais, pela professora ou pelos amiguinhos. Ela não confronta o pai diretamente, ela age como qualquer criança de 3 ou 4 anos agiria, nosso amigo Pediatra deveria saber disso.

IMG_1092 copy

George sempre dá trabalho pra comer coisas que ele não gosta, principalmente verduras. Assim como toda criança. E no final, basta um pouco de conversa e táticas de convencimento como fazer desenhos com a comida e ele come tudo direitinho.

Tanto o Papai Pig quanto a Mamãe Pig são muito presentes, atenciosos e carinhosos com os dois porquinhos. Estão sempre levando eles pra passeios, atividades, brincando junto, orientando e educando. Eu prefiro acreditar que essa verborragia vinda de um pediatra seja apenas frustração ou algo do tipo. Além do mais, se ele deixa o filho sozinho o tempo todo na frente da TV a culpa é dele, não do desenho. Cabe a ele como pai ensinar o filho a tirar as melhores lições do que está assistindo.

Preparar os filhos pra vida e pro mundo não é colocar eles numa bolha privando-os de experiências ruins. O verdadeiro papel dos pais é ensinar os filhos a tomar boas decisões. Eles poderão assistir qualquer tipo de desenho e continuarão sabendo o que é certo e errado. Apenas em uma coisa o pediatra acertou: temos que prestar atenção no que nossos filhos consomem. Mas isso é bem diferente de histeria. Aqui em casa pelo menos, Peppa continuará fazendo parte da vida dos meninos.

Pediatra bobinho.

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *