“Amamentar em público é nojento”

Acredite ou não, eu li essa frase numa rede social outro dia e fui imediatamente questionar a pessoa sobre isso. Poucas vezes me incomodei tanto com algo que li, mesmo sendo dito por alguém que sequer conheço pessoalmente. A palavra nojo é muito forte, se refere a coisas realmente repugnantes. Então fiz um enorme esforço pra tentar associar de que formas uma mãe e seu filho na forma mais pura de conexão entre si poderia ser algo nojento. Falhei, ainda bem.

A conversa que se seguiu foi ainda mais surreal. Segundo a pessoa, “Você não tira meleca do nariz em público, não é? Então não tem porque amamentar em público”. A falta de noção e sensibilidade foi tamanha que essa criatura conseguiu comparar o ato de amamentar um bebê indefeso e totalmente dependente da mãe com um ato de higiene pessoal. Comparou leite materno com dejetos nasais. Tá certinha você, querida.

O que a moça deixou de pensar é que uma mãe que amamenta seu filho na rua não fica com o seio à mostra. Não é topless. Normalmente sempre se põe um paninho ou fralda em cima, pra proteger o bebê e a mãe de qualquer exposição excessiva. Além disso, quando o bebê está mamando em geral cobre por completo o mamilo da mãe. Porque mostrar o peito inteiro na rua é aceitável, o que ofende é aparecer o mamilo, pelo visto.

Os pais tem um papel importante nisso. Incentivar a mãe a amamentar, ajuda-la nos momentos difíceis (o peito pode ficar muito ferido, o leite pode acabar endurecendo causando uma Mastite, são muitos os problemas que podem ocorrer. Eu sei que os seios da mulher são uma área importante na hora do sexo, mas durante a amamentação é fundamental que o companheiro seja compreensivo com relação a isso.

O que me causa estranheza é que não só essa moça, bem jovem por sinal (deve ter uns 20 anos), mas muitas outras e também muitos homens acham que alimentar uma criança é nojento, mas acham carnaval a coisa mais natural do mundo. Mostrar os peitos por pura farra é ok, mas amamentar seu filho é de causar náuseas. Valores que a sociedade inverte sem o menor constrangimento. O que me conforta é que sei que esse pensamento é de uma minoria de ignorantes, apesar de já ter visto casos de lojas que impedem lactantes de amamentar seus filhos dentro de suas dependências (se isso já aconteceu com você, denuncie e nunca mais compre nessa loja).

Para quem pensa dessa forma rudimentar, lembre-se que a criança depende totalmente da mãe. E o bebê precisa ser amamentado quando ele está com fome. Uma criança de semanas ou meses não pode esperar até a mãe chegar num lugar reservado. Bateu a fome? Chorou? Vai pro peito. E bebês estão constantemente com fome. Nenhuma mãe sai com o filho pendurado esfregando o peito na cara dos outros, ou espirrando leite pra incomodar as pessoas. Se você (de forma idiota) acha desagradável, simplesmente vire o rosto ou passe direto. Ninguém lhe obrigou a ficar olhando.

Esse tipo de pensamento atrasado acaba constrangendo mães que amamentam seus filhos. A amamentação já é deixada de lado normalmente. Um número muito pequeno de mães amamenta seus filhos corretamente ou pelo tempo mínimo recomendado pela OMS, que é de seis meses. Essas coisas só fazem com que essa fase tão importante da vida de um bebê seja cada vez mais reduzida ou abandonada. Deixem as mães amamentar seus filhos em paz.

E se você ainda assim acha que é nojento, lembre-se que é provável que sua mãe tenha amamentado você em público algumas vezes. E eu duvido muito que você preferisse ficar com fome.

Comentários

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *